Avaliação do Crescimento na Infância e Adolescência

 Avaliação do Crescimento na Infância e Adolescência

Post do dia: 2018-03-14 02:54:19. Publicado por Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC Categoria: Nutrição Clínica .

A sociedade atual passa por modificações em seu estilo de vida e, dentre elas se destaca a necessidade de refeições rápidas que aliada ao fácil acesso a tecnologia promovem constantes alterações no comportamento alimentar da população. As mudanças no acesso e qualidade ao alimento proporcionam repercussões no estado nutricional de crianças e adolescentes, possibilitando o desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas de forma cada vez mais precoce.

 

O Nutricionista e seu Papel na Sociedade Pós-Conteporânea

Conhecer o papel da Nutrição e seu impacto no crescimento e desenvolvimento infantojuvenil possibilitará a intervenção precoce e minimizará a ocorrência de agravos à saúde. A avaliação nutricional possui potencial para auxiliar o profissional Nutricionista no diagnóstico e tratamento além de nortear estratégias para prevenção de doenças crônico-degenerativas ou déficits nutricionais em crianças e adolescentes.

A antropometria consiste em uma ferramenta capaz de auxiliar o profissional nutricionista a delinear a estratégia de cuidado para o público infantojuvenil além de auxiliar o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, possibilitando identificar alterações precocemente. É importante salientar que o crescimento é um processo complexo e multifatorial que corresponde a fatores genéticos, hormonais, psicossociais e nutricionais, porém a criança cresce de maneira previsível. Compreender que desvios no padrão de crescimento podem indicar a manifestação de doenças e, assim, a avaliação sistemática e frequente se faz muito importante.

FASES DO CRESCIMENTO

A criança cresce de maneira diferente, de acordo com cada fase da vida:

1 – Fase intrauterina:

Na média, a velocidade de crescimento é de 1,2 na 1,5 cm/semana, considerando algumas variações. Na gestação o crescimento é de 2,5 cm/semana (por volta de 20 semanas) chegando a 0,5 cm/semana próximo ao nascimento. O momento final da gravidez se caracteriza por intenso ganho de peso e baixa velocidade de crescimento.

2 – Fase do lactente:

No primeiro ano de vida a criança cresce cerca de 25 cm/ ano, especialmente nos primeiros 6 meses e, essa velocidade reduz a partir do segundo ano (15cm / ano). Essa fase é caracterizada por influências externas fortes como os fatores nutricionais e ambientais, sofrendo menor influência hormonal e genética. Assim, nessa fase o padrão familiar tem pouca importância no crescimento.

3 – Fase pré-púbere:

Período que compreende o terceiro ano até o início da puberdade, caracterizado por crescimento mais estável (5 a 7 cm/ ano). Nessa fase os fatores genéticos e hormonais (Hormônio do Crescimento – GH) são mais relevantes. É importante ressaltar a necessidade de critério na avaliação  do crescimento nessa fase pois podem ocorrer oscilações que podem indicar diagnósticos nutricionais errôneos, especialmente em situações onde a avaliação foi feita em curto espaço de tempo.

4 – Fase puberal:

Meninas crescem mais cedo do que meninos nessa fase, mas o estirão puberal nos meninos é maior. A representatividade de fatores hormonais nessa fase é muito maior, especialmente os esteroides sexuais e hormônio do crescimento.

5 - Fase puberal final:

O crescimento nessa fase é lento (1 a 1,5 cm/ano) e dura três anos, em média.

 

Conclusão

A avaliação do crescimento fetal e pós-natal (com dados para avaliação de recém-nascidos prematuros) hoje pode ser realizada através do Intergrowth 21st (https://intergrowth21.tghn.org/standards-tools/). Esta é uma ferramenta de abrangência mundial (agrupa dados referentes a 18 países) e que objetiva complementar a avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS) já existente. Para as crianças e adolescentes entre 0 e 19 anos incompletos, dispomos das referências da OMS (2006 e 2007), recomendadas pelo Ministério da Saúde a partir dos protocolos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN).

 

REFERÊNCIAS

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Protocolos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN na assistência à saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.– Brasília : Ministério da Saúde, 2008. 61 p. : il. – (Série B. Textos Básicos de Saúde).

Sociedade Brasileira de Pediatria. Avaliação nutricional da criança e do adolescente – Manual de Orientação / Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. – São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia, 2009. 112 p.

The International Fetal and Newborn Growth Consortium for the 21st Century – Intergrowth 21st. Disponível em: https://intergrowth21.tghn.org/about/.

World Health Organization. WHO Child Growth Standards: Length/height-for-age, weight-for-age, weight-forlength, weight-for-height and body mass index-for-age. Methods and development. WHO (nonserial publication). Geneva, Switzerland: WHO, 2006.

 


Posts Relacionados

FICHA TÉCNICA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: POR QUE USÁ-LA?

FICHA TÉCNICA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: POR QUE USÁ-LA?

A importância da Ficha Técnica Paradoxalmente ela é um dos temas mais despre

→ Leia mais...
O Nutricionista na Hoteleria Marítma

O Nutricionista na Hoteleria Marítma

A hotelaria marítima tem sido um campo de trabalho em constante crescimento para profissiona

→ Leia mais...
Uso de nutracêuticos em Nutrição Esportiva Nutrição Personalizada

Uso de nutracêuticos em Nutrição Esportiva Nutrição Personalizada

O que é um Nutracêutico?  Nutracêutico é um termo usado para desc

→ Leia mais...
Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Nutricionista pela Universidade Federal Fluminense (2008), Especialização em Terapia Nutricional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2013) e Mestrado Profissional em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015). Participa como Nutricionista Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Saúde Materna e Infantil (GPSMI), é Doutoranda em Ciências Nutricionais na UFRJ e trabalha como Docente do curso de Nutrição da Faculdade FMP/FASE - Petrópolise em cursos de pós-graduação. Possui experiência na área de Nutrição Clínica, Materno-Infantil e Terapia Nutricional.

→ Veja o Perfil Completo