Avaliação do Risco Nutricional em Pediatria

Avaliação do Risco Nutricional em Pediatria

Post do dia: 2017-12-21 16:20:45. Publicado por Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC Categoria: Nutrição Clínica .

A criança passa por fases de grande importância enquanto cresce e se desenvolve.  Na doença esse processo se torna ainda mais preocupante. Durante a hospitalização, a criança está submetida a inúmeras situações capazes de interferir diretamente no seu estado nutricional, comprometendo-o de forma significativa e permanente, podendo causar danos irreversíveis. A desnutrição em pacientes pediátricos consiste em uma patologia grave, que pode piorar o quadro clínico e determinar maior tempo de permanência hospitalar, a ocorrência ou agravamento de processos infecciosos e aumento da mortalidade.

 

Números sobre a Desnutrição Infantil 

A desnutrição no paciente pediátrico tem prevalência pouco conhecida na realidade, mas sabe-se que ela existe e impacta de forma significativa no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes. Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que 52 milhões de crianças no mundo estavam desnutridas em 2016, sendo que destas 17 milhões em uma classificação de desnutrição grave. Durante a hospitalização, sabe-se que 18% a 58% das crianças estão desnutridas, informação alarmante e que suscita propostas de intervenção imediatas.

A avaliação do estado nutricional é capaz de detectar casos de desnutrição instalada, porém não consegue reconhecer aqueles indivíduos em potencial risco de desnutrir. Nessa perspectiva, a avaliação de risco nutricional consiste na ferramenta capaz de predizer a possibilidade de alterações negativas no estado nutricional e possibilita, assim, intervir precocemente, minimizando a morbimortalidade na população infanto-juvenil.

Atualmente a literatura dispõe de diversos instrumentos de triagem nutricional específicos para a população pediátrica (STRONGkids, Pediatric Nutritional Risk Score, Subjective Global Nutritional Assessment, STAMP tool, Paediatric Yorkhill Malnutrition Score), porém faltam estudos de validação e que adaptem os instrumentos para a população pediátrica brasileira. Devido a essa dificuldade, muitas vezes a avaliação de risco nutricional não é realizada e a instituição da terapia nutricional adequada não é realizada.

 

Importância daTriagem Nutricional no Paciente Pediátrico

A importância da triagem nutricional no paciente pediátrico hospitalizado se traduz nos benefícios da intervenção precoce em situações de desvio nutricional, especialmente quando é possível aplicar estratégias de terapia nutricional específicas, objetivando minimizar a morbimortalidade. Para a população pediátrica, a definição da complexidade do atendimento, ou seja, do nível de assistência nutricional, é preconizada em até 48 horas do momento de sua admissão hospitalar, pois as crianças expressam os sinais clínicos da deficiência nutricional mais acentuada e rapidamente do que os adultos. Isso se deve à acelerada fase de crescimento e desenvolvimento, que exige maior demanda energético-proteica, além das crianças serem mais sensíveis às variações de oferta de nutrientes.

Sabendo-se que as fases infância e adolescência caracterizam-se por alterações fisiológicas expressivas nas funções orgânicas e na composição corpórea, o conhecimento do estado nutricional deve ser pautado por vários critérios cuja interpretação é realizada conjuntamente para a obtenção de diagnósticos nutricionais específicos que auxiliem no estudo de prognósticos e terapêuticas adequados às diferentes condições clínicas.

A triagem e avaliação nutricional são processos sistemáticos que, por meio da anamnese nutricional, exame físico, história dietética e exames laboratoriais, representam o primeiro passo para uma assistência nutricional adequada.

 

REFERÊNCIAS

MAGALHÃES EA, MARTINS MA, RODRIGUES CC, MOREIRA AS. Associação entre tempo de internação e evolução do estado nutricional de crianças internadas em um hospital universitário. Demetra. 2013;8:103-14.

SARNI RO, CARVALHO MF, MONTE CM, ALBUQUERQUE ZP, SOUSA FI. Anthropometric evaluation, risk factors for malnutrition, and nutritional therapy for children in teaching hospitals in Brazil. J Pediatr (Rio J). 2009;85:223-8. 

TEIXEIRA, AF; VIANA, KDAL. Triagem nutricional em pacientes pediátricos hospitalizados: uma revisão sistemática,. J. Pediatr. (Rio J.). 2016; 92(4):343-52.. 

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Children Malnutrition. Disponível em: <http://www.who.int/gho/child-malnutrition/en/>.  Acesso em: 17/12/2017.


Posts Relacionados

FICHA TÉCNICA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: POR QUE USÁ-LA?

FICHA TÉCNICA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: POR QUE USÁ-LA?

A importância da Ficha Técnica Paradoxalmente ela é um dos temas mais despre

→ Leia mais...
 Avaliação do Crescimento na Infância e Adolescência

Avaliação do Crescimento na Infância e Adolescência

A sociedade atual passa por modificações em seu estilo de vida e, dentre elas se dest

→ Leia mais...
O Nutricionista na Hoteleria Marítma

O Nutricionista na Hoteleria Marítma

A hotelaria marítima tem sido um campo de trabalho em constante crescimento para profissiona

→ Leia mais...
Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Nutricionista pela Universidade Federal Fluminense (2008), Especialização em Terapia Nutricional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2013) e Mestrado Profissional em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015). Participa como Nutricionista Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Saúde Materna e Infantil (GPSMI), é Doutoranda em Ciências Nutricionais na UFRJ e trabalha como Docente do curso de Nutrição da Faculdade FMP/FASE - Petrópolise em cursos de pós-graduação. Possui experiência na área de Nutrição Clínica, Materno-Infantil e Terapia Nutricional.

→ Veja o Perfil Completo