Avaliação do Risco Nutricional em Pediatria


Post do dia: 2017-12-21 14:20:45. Publicado por Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC Categoria: Nutrição Clínica .

A criança passa por fases de grande importância enquanto cresce e se desenvolve.  Na doença esse processo se torna ainda mais preocupante. Durante a hospitalização, a criança está submetida a inúmeras situações capazes de interferir diretamente no seu estado nutricional, comprometendo-o de forma significativa e permanente, podendo causar danos irreversíveis. A desnutrição em pacientes pediátricos consiste em uma patologia grave, que pode piorar o quadro clínico e determinar maior tempo de permanência hospitalar, a ocorrência ou agravamento de processos infecciosos e aumento da mortalidade.

 

Números sobre a Desnutrição Infantil 

A desnutrição no paciente pediátrico tem prevalência pouco conhecida na realidade, mas sabe-se que ela existe e impacta de forma significativa no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes. Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que 52 milhões de crianças no mundo estavam desnutridas em 2016, sendo que destas 17 milhões em uma classificação de desnutrição grave. Durante a hospitalização, sabe-se que 18% a 58% das crianças estão desnutridas, informação alarmante e que suscita propostas de intervenção imediatas.

A avaliação do estado nutricional é capaz de detectar casos de desnutrição instalada, porém não consegue reconhecer aqueles indivíduos em potencial risco de desnutrir. Nessa perspectiva, a avaliação de risco nutricional consiste na ferramenta capaz de predizer a possibilidade de alterações negativas no estado nutricional e possibilita, assim, intervir precocemente, minimizando a morbimortalidade na população infanto-juvenil.

Atualmente a literatura dispõe de diversos instrumentos de triagem nutricional específicos para a população pediátrica (STRONGkids, Pediatric Nutritional Risk Score, Subjective Global Nutritional Assessment, STAMP tool, Paediatric Yorkhill Malnutrition Score), porém faltam estudos de validação e que adaptem os instrumentos para a população pediátrica brasileira. Devido a essa dificuldade, muitas vezes a avaliação de risco nutricional não é realizada e a instituição da terapia nutricional adequada não é realizada.

 

Importância daTriagem Nutricional no Paciente Pediátrico

A importância da triagem nutricional no paciente pediátrico hospitalizado se traduz nos benefícios da intervenção precoce em situações de desvio nutricional, especialmente quando é possível aplicar estratégias de terapia nutricional específicas, objetivando minimizar a morbimortalidade. Para a população pediátrica, a definição da complexidade do atendimento, ou seja, do nível de assistência nutricional, é preconizada em até 48 horas do momento de sua admissão hospitalar, pois as crianças expressam os sinais clínicos da deficiência nutricional mais acentuada e rapidamente do que os adultos. Isso se deve à acelerada fase de crescimento e desenvolvimento, que exige maior demanda energético-proteica, além das crianças serem mais sensíveis às variações de oferta de nutrientes.

Sabendo-se que as fases infância e adolescência caracterizam-se por alterações fisiológicas expressivas nas funções orgânicas e na composição corpórea, o conhecimento do estado nutricional deve ser pautado por vários critérios cuja interpretação é realizada conjuntamente para a obtenção de diagnósticos nutricionais específicos que auxiliem no estudo de prognósticos e terapêuticas adequados às diferentes condições clínicas.

A triagem e avaliação nutricional são processos sistemáticos que, por meio da anamnese nutricional, exame físico, história dietética e exames laboratoriais, representam o primeiro passo para uma assistência nutricional adequada.

 

REFERÊNCIAS

MAGALHÃES EA, MARTINS MA, RODRIGUES CC, MOREIRA AS. Associação entre tempo de internação e evolução do estado nutricional de crianças internadas em um hospital universitário. Demetra. 2013;8:103-14.

SARNI RO, CARVALHO MF, MONTE CM, ALBUQUERQUE ZP, SOUSA FI. Anthropometric evaluation, risk factors for malnutrition, and nutritional therapy for children in teaching hospitals in Brazil. J Pediatr (Rio J). 2009;85:223-8. 

TEIXEIRA, AF; VIANA, KDAL. Triagem nutricional em pacientes pediátricos hospitalizados: uma revisão sistemática,. J. Pediatr. (Rio J.). 2016; 92(4):343-52.. 

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Children Malnutrition. Disponível em: <http://www.who.int/gho/child-malnutrition/en/>.  Acesso em: 17/12/2017.


Posts Relacionados

Sintomas digestivos na gestação: como a Nutrição pode ajudar?

A gestação é um período do ciclo feminino em que a mulher passa por div

→ Leia mais...

Exames laboratoriais na prática clínica do Nutricionista

  A solicitação de exames laboratoriais é uma das grandes aliadas do n

→ Leia mais...

Dicas de Alimentação antes da Atividade Física

É crescente o número de pessoas que vêm se preocupando em realizar uma alimenta

→ Leia mais...

Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Nutricionista pela Universidade Federal Fluminense (2008), Especialização em Terapia Nutricional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2013) e Mestrado Profissional em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015). Participa como Nutricionista Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Saúde Materna e Infantil (GPSMI), é Doutoranda em Ciências Nutricionais na UFRJ e trabalha como Docente do curso de Nutrição da Faculdade FMP/FASE - Petrópolise em cursos de pós-graduação. Possui experiência na área de Nutrição Clínica, Materno-Infantil e Terapia Nutricional.

→ Veja o Perfil Completo