Alergia Alimentar: É Possível Prevenir?

Alergia Alimentar: É Possível Prevenir?

Post do dia: 2018-08-13 11:00:54. Publicado 13/08/2018 por Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC Categoria: Nutrição Clínica .

A alergia alimentar, atualmente considerada um problema de saúde pública, é definida como uma doença decorrente de resposta adversa  que ocorre após a exposição (ingestão ou contato) a componente(s) alergênico(s) alimentar(es) (ASBAI, 2018a). Qualquer alimento pode desencadear uma resposta alérgica, sendo que leite, ovo, soja, trigo, peixes e crustáceos. A produção de anticorpos do tipo IgE depende dos hábitos alimentares da população e estes levam, frequentemente, a reação grave denominada anafilática (ASBAI, 2018b).

Os alimentos podem provocar reações cruzadas e determinar a restrição de consumo de um grupo de alimentos para um mesmo indivíduo. Como exemplo o paciente alérgico a amendoim pode apresentar reação cruzada ao ingerir soja ou outros feijões.  Além disso, existem situações raras onde há reação adversa aos corantes, conservantes e aditivos alimentares (exemplo – corante tartrarzina, glutamato monossódico, sulfitos) (ASBAI, 2018b)

Dentre as manifestações clínicas, são comuns as reações que envolvem a pele, tais  como a urticária, inchaço e eczema, seguidos do aparelho gastrointestinal (diarreia, dor abdominal e vômito). As manifestações alérgicas graves se configuram como reações intensas que acometem diversos órgãos e que pode cursar com perda de sangue nas fezes (ocasionando anemia), agravando o quadro de anemia e retardo do crescimento intrauterino (ASBAI, 2018).

Com relação ao tratamento, não existe, até o momento, um medicamento específico para prevenir a alergia alimentar. Os medicamentos utilizados são para tratamento dos sintomas em situações de crise, especificamente. O importante é evitar novos contatos com os alimentos desencadeantes e solicitar que o paciente tenha atenção aos rótulos dos alimentos.

Prevenção da Alergia Alimentar

Nas últimas décadas a prevenção da doença alérgica vem sendo discutida, porém os fatores que levam ao desencadeamento da alergia são variados, desde genéticos até ambientais. As evidências quanto as intervenções para minimizar o acometimento por doenças alérgicas ainda são insuficientes. A amamentação exclusiva até os 6 meses constitui a ÚNICA medida comprovada cientificamente que pode diminuir as chances de desenvolver alergia alimentar (ASBAI, 2018a).

Algumas medidas são recomendadas de acordo com o último Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar (ASBAI, 2018a):

  • Não existe evidência para restrições alimentares em gestantes;

  • O aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida deve ser estimulado e constitui a única ação capaz de efetivamente poder proteger o bebê;

  • Adiar a introdução de leite de vaca e dos alimentos sólidos não está relacionado à diminuição do risco de desenvolver alergias alimentares;

  • As fórmulas hidrolisadas (parcialmente ou extensamente), não constituem fator protetor contra a alergia alimentar segundo estudos científicos, ainda controversos;

  • As fórmulas de soja não devem ser recomendadas para a prevenção de alergias;

  • A alimentação complementar deve ser feita a partir do 6º mês de vida, sem restrição na introdução de alimentos potencialmente alergênicos (exemplo ovo, peixe e trigo), independente do risco familiar.

 

 

REFERÊNCIAS

ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2018 - Parte 1 - Etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Documento conjunto elaborado pela Sociedade Brasileira de Pediatria e Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Arq Asma Alerg Imunol. 2018a;2(1):7-38.

 

______. Alergia alimentar. Disponível em: http://www.asbai.org.br/secao.asp?s=81&id=306. Acesso em:07 ago 2018b.

 


Posts Relacionados

Personal Diet: Por onde começar?

Personal Diet: Por onde começar?

Personal Diet é caracterizado por um modelo de atendimento domiciliar, que se baseia em um a

→ Leia mais...
Técnico em Nutrição e Dietética: quem é esse profissional?

Técnico em Nutrição e Dietética: quem é esse profissional?

Sempre que se fala em alimentação, logo vem à mente da maioria das pessoas a f

→ Leia mais...
As Bananas na Alimentação Humana

As Bananas na Alimentação Humana

A banana (Musa spp) é a fruta de maior aceitação mundial e nacional. No mundo,

→ Leia mais...
Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Prof. Nathalia Ferreira Antunes de Almeida, MsC

Nutricionista pela Universidade Federal Fluminense (2008), Especialização em Terapia Nutricional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2013) e Mestrado Profissional em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015). Participa como Nutricionista Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Saúde Materna e Infantil (GPSMI), é Doutoranda em Ciências Nutricionais na UFRJ e trabalha como Docente do curso de Nutrição da Faculdade FMP/FASE - Petrópolise em cursos de pós-graduação. Possui experiência na área de Nutrição Clínica, Materno-Infantil e Terapia Nutricional.

→ Veja o Perfil Completo