Alergia Alimentar na Infância: Conheça os principais alérgenos e onde encontrá-los

Compartilhe!

Sumário

 

Alergia Alimentar

A alergia alimentar é uma resposta imunológica anômala, que ocorre após a ingestão e/ou contato com uma determinada substância presente no alimento, afetando cerca de 6% das crianças com menos de três anos de idade.

O contato com alimentos potencialmente alergênicos, imaturidade da mucosa gastrointestinal, herança genética, alimentação da gestante e da nutriz, privação do leite materno e parto cesariano são citados como uns dos fatores que contribuem para a maior predisposição à alergia alimentar na infância.

Os mecanismos imunológicos da alergia alimentar responsáveis pela hipersensibilidade podem ser mediados por imunoglobulina E (IgE), células ou reação mista (IgE e células). Como consequência, as reações adversas surgem após a exposição do indivíduo sensibilizado ao alérgeno, são elas:

Pele: urticária, angioedema, eritema, prurido, eczema, dermatite atópica.

Gastrointestinais: diarreia, cólica abdominal, sangramento gastrointestinal, refluxo, vômito.

Respiratório: rinoconjuntivite, coriza, tosse, rouquidão, asma brônquica.

Reação Anafilática: hipotensão arterial, disritmia, comprometimento de vários órgãos (grave).

Atualmente, com o aumento da prevalência no mundo todo, a alergia alimentar é considerada um problema de saúde pública. Diversos alimentos podem ser causadores de alergias alimentares, porém, cerca de 80% delas são provocadas pelo consumo de ovo, leite, amendoim, soja, trigo, oleaginosas, peixes e crustáceos.

Conhecendo os principais alérgenos na infância e onde encontrá-los


É essencial o Nutricionista ter conhecimento sobre quais os principais alérgenos presentes nos alimentos e onde encontrá-los, para elaboração de cardápios e receitas livres dos mesmos, como também na orientação da leitura de rótulo para família da criança alérgica.

Alergia alimentar ao leite de vaca e derivados

Principais Alérgenos: Caseínas, β-lactoglobulina, imunoglobulina e a albumina bovina.

Alimentos e ingredientes que podem indicar presença: Leite integral, semidesnatado ou desnatado, leite em pó, manteiga, ghee, torrone, soro de leite, nougat, soro de leite coalhado, bebida láctea, leite fermentado, requeijão, petit suisse, composto lácteo, margarina que contenha leite, doce de leite, creme de leite, chantilly (pode conter caseinato), traços de leite, queijos em geral, coalhada, leite condensado, nata, proteína hidrolisada de leite, creme azedo, iogurte, molho branco e outros que tenham leite, pudim, proteína láctea, caseína, caseína hidrolisada, caseinatos de sódio, caseinato de potássio, caseinato de cálcio, caseinato de magnésio, caseinato de amônia, lactoalbumina, lactoferrina, proteína láctea, fosfato de lactoalbumina, lactoglobulina, lactose (pode conter traços protéicos), etc.

Produtos que podem conter leite em sua composição: biscoitos, achocolatado, embutidos, sorvete, bolos, tortas, pães, purê, etc.

Alergia alimentar ao ovo

Principais Alérgenos: ovoalbumina, ovomucóide e conalbumina

Alimentos e ingredientes que podem indicar presença: Ovo, maionese, merengue, gemadas, marshmallow, clara em neve, sólidos de ovos, ovo em pó, clara de ovo, gema, simplesse, ovoalbumina, conalbumina, flavoproteína, fosvitina, ovoglobulina, ovotransferrina, globulina, ovomucina, albumina, lisozima, grânulo, ovovitelina, lipoproteína de baixa densidade, plasma, lecitina, livetina, lisozima (E1 105), etc.

Produtos que podem conter ovo em sua composição: Biscoitos, achocolatado, pudim, chocolate, macarrão, bolos, tortas, pães, etc.

Alergia alimentar ao amendoim

Principais Alérgenos: Vicilina, conglutina e glicinina

Alimentos e ingredientes que podem indicar presença: Amendoim, proteína hidrolisada de amendoim, castanhas artificiais ou naturais (risco de traços), óleo de amendoim, torrone, farinha de amendoim, marzipan, manteiga de amendoim, pasta de amendoim, chili, etc.

Produtos que podem conter amendoim em sua composição: Biscoitos, doces, balas, chocolate, bolos, tortas, sorvete e vitamina D, etc.

Alergia alimentar à soja

Principais Alérgenos: Vicilinas e conglutina

Alimentos e ingredientes que podem indicar presença: Soja, missô, shoyu, tofu, farinha de soja, fibra de soja, extrato de soja, molho de soja, proteína texturizada de soja, glicinina, tamari, conglicinina, tao-cho, natto, tao-si, taotjo, edamame, tempeh, hemaglutinina, proteína isolada de soja, teriyaki, inibidor de tripsina, tofu, isoflavonas, uréase, lecitina, yuba, lipoxygenase, sufu, ß-amilase, etc.

Produtos que podem conter soja em sua composição: biscoitos, achocolatado, pães, traços de soja em produtos ensacados, como farináceos e grão, sorvete, bolos, tortas, frios e embutidos, etc

Observação: A maioria dos indivíduos alérgicos podem consumir com segurança o óleo de soja que tenha sido altamente refinado, porém a decisão cabe avaliação médica e nutricional.

Diagnóstico e tratamento da alergia alimentar


Para o diagnóstico da alergia alimentar, os principais recursos utilizados são: história clínica, exame físico, teste sorológico, teste de provocação oral e dieta de eliminação. O diagnóstico correto é crucial não só para direcionar o tratamento, mas também para evitar a restrição alimentar desnecessária da criança.

Os medicamentos específicos são prescritos pelo Médico para o tratamento dos sintomas (crise). O tratamento da alergia alimentar consiste apenas na exclusão completa do alimento identificado, sendo a única forma eficaz de evitar o surgimento de reações adversas.

Papel do nutricionista na alergia alimentar

O acompanhamento nutricional da criança alérgica é imprescindível para garanti-la o crescimento e desenvolvimento adequado, prevenindo possíveis deficiências nutricionais e desnutrição durante a infância. O Nutricionista tem papel importante no tratamento da Alergia Alimentar na Infância, pois é responsável pelo suporte necessário para uma alimentação adequada para criança, como:

  • Exclusão do alimento que desencadeia Alergia Alimentar na criança;
  • Esclarecimento de dúvidas à família da criança sobre a Alergia Alimentar e os riscos;
  • Oferecer opções de substituição nutricionalmente equivalente para o alimento excluído;
  • Orientação sobre contaminação cruzada de alimentos.
  • Ensinar os termos sinônimos ao alimento excluído;
  • Orientação sobre a leitura de rótulos de produtos industrializados;
  • Na realização de refeições fora de casa, os familiares devem ser orientados quanto à importância de questionar os responsáveis pela preparação dos alimentos os ingredientes utilizados, e forma de preparação/confecção;

A Nutrição é uma peça fundamental durante a infância com Alergia Alimentar, não só para orientação de riscos e prevenção de deficiências nutricionais pela exclusão de um determinado alimento, mas também na educação nutricional familiar, o que contribui de forma significativa para a inclusão da criança no meio social que ela está inserida.

Curso Pós Graduação Online em Nutrição Clínica em Obstetrícia, Pediatria e Adolescência

CURSO 100% ONLINE

Flexibilidade para estudar, com a mesma qualidade Nutmed! Curso disponível 24 horas por dia!

Faça a sua matrícula na Pós-graduação Online em Nutrição na Obstetrícia, Pediatria e Adolescência! Venha se especializar na Nutmed/Ensine!

Bibliografia Consultada:

O CONSENSO BRASILEIRO SOBRE ALERGIA ALIMENTAR: Etiopatogenia, clínica e diagnóstico, Sociedade Brasileira de Pediatria e Associação Brasileira de Alergia e Imunologia – 2018.

CARTILHA DE ALERGIA ALIMENTAR, PROTESTE e PÕE NO RÓTULO – 2014.

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CARDÁPIOS ESPECIAIS, SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO – 2015.

Revisão: Clara Machado 

Veja também

Alergia Alimentar Infantil Diagnóstico, Tratamento e Orientações Nutricionais
Nutrição Clínica

Alergia Alimentar Infantil: Diagnóstico, Tratamento e Orientações Nutricionais

Fala a verdade: se um paciente com alergia alimentar infantil fosse ao seu consultório hoje, você saberia o passo a passo para atendê-lo com tranquilidade e excelência? Pois chegou a hora de ter um conhecimento ainda mais profundo na nutrição pediátrica!  Neste guia você saberá como acontece o diagnóstico, o tratamento e quais as orientações

Leia mais »
Pós Graduação em Nutrição Esportiva
Nutrição Clínica

Pós-graduação em Nutrição Esportiva: Capacitação profissional para atender atletas e praticantes de atividade física

Chegou a hora de unir saúde e alta performance! A pós-graduação em nutrição esportiva colocará seus atendimentos em um novo nível! Para que você tenha uma visão geral sobre a área, criamos um guia com as informações mais relevantes, desde os conteúdos que devem ser estudados às melhores oportunidades com atletas e praticantes de atividade

Leia mais »
Nutrição na Modulação do Ciclo Menstrual
Nutrição Clínica

Nutrição na modulação do ciclo menstrual

Sabia que a Nutrição na modulação do ciclo menstrual pode ajudar suas pacientes a terem uma TPM mais tranquila? Poucos profissionais percebem, mas a alimentação tem um papel fundamental na saúde da mulher. Estudos recentes mostram que alguns nutrientes podem influenciar positivamente no bem-estar feminino, aliviando a tensão pré-menstrual e prevenindo ou tratando outros problemas.

Leia mais »
erapia alimentar como funciona e por que se especializar
Nutrição Clínica

Terapia alimentar: como funciona e por que se especializar?

Diga olá para a terapia alimentar, o conhecimento que faltava para você melhorar a vida dos seus pacientes e conseguir uma boa remuneração! Esse campo de atuação te fará atender com maestria os públicos mais variados: de crianças com dificuldades alimentares até adultos que desejam tratar ou prevenir doenças. Ao longo deste artigo, você saberá

Leia mais »

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp.