Doenças Inflamatórias Intestinais

Fitoquímicos e depressão: Como a dieta pode ajudar?

Compartilhe!

Sumário

depressão

A depressão é uma doença psiquiátrica recorrente, crônica e incapacitante, associada à morbidade e mortalidade significativas. Este transtorno psiquiátrico, com risco de vida, é uma das razões mais importantes de incapacidade em adultos. A incidência de depressão é de cerca de até 10% na população adulta; e, se pensarmos em pacientes com doenças crônicas, sua prevalência é ainda mais alta, entre 22 e 46%.

Os fitoquímicos presentes em especiarias e plantas medicinais são conhecidos por diminuir o risco de algumas patologias, incluindo doenças autoimunes e cardiovasculares, bem como doenças neurodegenerativas.

Alguns fitoquímicos, como a curcumina, pelas suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes potentes, vem recebendo interesse da comunidade científica, pelos seus efeitos neuroprotetores, sugerindo fortemente que eles podem melhorar os sintomas da depressão. Conheça alguns dos alimentos que podem ser utilizados como adjuvante aos medicamentos convencionais:

Orégano e Tomilho


O orégano (Origanum vulgare) é uma erva perene e aromática, muito utilizada na cozinha do Mediterrâneo. São utilizadas as suas folhas, frescas ou secas, pelo sabor e aroma que dão aos pratos. Considera-se que as folhas secas tem melhor sabor. O orégano é um dos condimentos mais conhecidos mundialmente. É um ingrediente insubstituível na culinária italiana, onde é utilizado em molhos de tomate, vegetais refogados, carne, e na pizza. Junto com o manjericão dá o caráter da culinária italiana.

O tomilho (Thymus vulgaris) é um subarbusto aromático da família das labiadas. Tal subarbusto apresenta folhas pequenas, lineares ou lanceoladas, e flores róseas ou esbranquiçadas. Ocorre do Oeste da Europa ao Sudeste da Itália e é especialmente cultivado como condimento e pelo óleo essencial, rico em timol, com apreciável poder anti-séptico, muito utilizado contra as afecções pulmonares e como estimulante digestivo. Por se tratar de uma planta com sabor muito agradável, é amplamente utilizada na culinária. Combina muito bem com carnes cozidas, molhos e atum. Pode ser utilizada tanto fresca como seca. Após colhida, basta lavar e adicionar à comida para se obter um bom aroma.

Tanto orégano quanto tomilho são ricos em carvacrol, um fenol monoterpênico. Este fitoquímico aromático possui propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, antiartríticas, antialérgicas, anticarcinogênicas, antidiabéticas, cardioprotetoras, gastroprotetoras, hepatoprotetoras e neuroprotetoras.

O carvacrol parece induzir efeitos antidepressivos que parecem depender de uma interação com as vias dopaminérgicas do cérebro, além de influenciar a atividade neuronal através da modulação de neurotransmissores, como serotonina e dopamina.

Recomenda-se o consumo diário de 5g da especiaria seca (orégano ou tomilho), como fonte de carvacrol.

depressão

Açafrão-da-Terra / Cúrcuma


O açafrão-da-terra (Curcuma longa), conhecido também como cúrcuma, turmérico, raiz-de-sol, açafrão-da-índia, açafroa e gengibre amarelo, é uma planta herbácea da família do gengibre (Zingiberaceae), originária da Ásia (Índia e Indonésia). Da sua raiz seca e moída se obtém uma especiaria homônima, utilizada como condimento ou corante de cor amarela e brilhante, na culinária e no preparo de medicamentos. Não deve ser confundido com a especiaria extraída das flores de Crocus sativus, chamada somente de açafrão. A curcumina é um importante componente ativo da Curcuma longa.

Sua característica principal é a forte cor amarela que transfere aos alimentos. Usado para colorir laticínios, bebidas e mostarda, em cozidos, sopas, ensopados, molhos, peixes, pratos à base de feijão, receitas com ovos, maioneses, massas, frango, batatas, couve-flor e até pães. Deve ser dissolvido em água quente antes de ser incorporado a uma receita. É um ingrediente essencial para acentuar o sabor e dar cor a muitos pratos da cozinha indiana, principalmente arroz.

A administração de curcumina aumenta os níveis de serotonina séricos. O efeito antidepressivo da curcumina pode ser aumentado por vários tipos de antidepressivos incluindo bupropiona, fluoxetina e venlafaxina quando administrados em conjunto, podendo restaurar as mudanças bioquímicas e comportamentais induzidas pelo estresse crônico.

Recomenda-se o consumo diário de 1g da especiaria seca, como fonte de curcuminóides.

Farelo de arroz


O farelo de arroz é um subproduto do processamento do polimento do arroz integral, e é fonte de fibra insolúvel. É rico em nutrientes e minerais: vitamina E, vitamina B6, Niacina, Ácido pantotênico, Riboflavina, Tiamina, Folato, Magnésio, Manganês, Zinco, Cobre, Potássio e Ferro. Além disso, é rico em fibras, importantes para o bom funcionamento intestinal e para a prevenção do câncer de intestino.

É rico em gamma-oryzanol, um potente antioxidante encontrado no óleo do arroz e presente no farelo não desengordurado, além de ser fonte de ácido ferrúlico. Este composto é derivado da fenilalanina, que é convertida em ácido 4-hidroxicinâmico e, em seguida, em ácido cafeico e tem mostrado várias ações medicinais, incluindo propriedades anti-inflamatórias, antitumorais, antidiabéticas e neuroprotetoras. Parece atenuar o comportamento induzido pelo estresse, além de aumentar a fosforilação de CREB e o nível de mRNA do fator neurotrópico derivado do cérebro no hipocampo.

Recomenda-se o consumo diário 30g de farelo de arroz, como fonte de ácido ferrúlico.

Cebola


Cebola é o nome popular da planta cujo nome científico é Allium cepa. A cebola é a hortaliça condimentar mais difundida no mundo. Usada principalmente como condimento, a cebola é a base de todos os temperos, combinando e oferecendo um sabor especial a quase todos os tipos de pratos. Apesar de sua pequena importância nutricional como fonte de vitaminas e sais minerais – possui baixo teor protéico e de aminoácidos essenciais – apresenta propriedades terapêuticas comprovadas.

Rica em flavonóides, possui atividades antioxidantes, anti-inflamatório, protetor cardíaco, analgésico, antialérgico, anticâncer, antidiabético, antiúlcera, entre outros. Dos flavonóides mais prevalentes, encontramos a quercetina, composto polifenólico presente naturalmente em vegetais como maçã, cebola, chá e em plantas medicinais como Hypericum perforatum, planta medicinal tradicionalmente utilizada para tratamento de depressão.

A quercetina possui como ação principal a redução da hiperativação do eixo Hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA) e modulação da fadiga/sobrecarga adrenal. Recomenda-se o consumo diário 25g de hortaliça crua, como fonte de quercetina.

Suco de Uva Tinta Orgânico / Vinho tinto seco


A uva é o fruto da videira (Vitis sp.), uma planta da família das Vitaceae. É utilizada frequentemente para produzir sumo, doce (geleia), vinho e passas, podendo também ser consumida ao natural. Entre as espécies de videiras, destaca-se a Vitis vinifera, o tipo de videira mais frequente na produção do vinho, na Europa principalmente.

Ricos em resveratrol, promovem melhora das concentrações de serotonina e noradrenalina no cérebro, além de aumentar as concentrações de serotonina, dopamina e noradrenalina cerebrais e reduzir a atividade da MAO, sendo um potente antidepressivo.

Recomenda-se o consumo diário 300mL de suco de uva tinta orgânico ou 160mL de vinho tinto seco, como fonte de resveratrol.

Vale a pena recomendar o uso destes alimentos como alternativa antidepressiva como adjuvante aos medicamentos convencionais.

Faça a sua matrícula na Pós-graduação em Nutrição Clínica, Ortomolecular, Nutrição Funcional e Fitoterapia – EAD! Venha se especializar na Nutmed/Ensine!

Deixe um comentário

Veja também

Alergia Alimentar Infantil Diagnóstico, Tratamento e Orientações Nutricionais
Nutrição Clínica

Alergia Alimentar Infantil: Diagnóstico, Tratamento e Orientações Nutricionais

Fala a verdade: se um paciente com alergia alimentar infantil fosse ao seu consultório hoje, você saberia o passo a passo para atendê-lo com tranquilidade e excelência? Pois chegou a hora de ter um conhecimento ainda mais profundo na nutrição pediátrica!  Neste guia você saberá como acontece o diagnóstico, o tratamento e quais as orientações

Leia mais »
Pós Graduação em Nutrição Esportiva
Nutrição Clínica

Pós-graduação em Nutrição Esportiva: Capacitação profissional para atender atletas e praticantes de atividade física

Chegou a hora de unir saúde e alta performance! A pós-graduação em nutrição esportiva colocará seus atendimentos em um novo nível! Para que você tenha uma visão geral sobre a área, criamos um guia com as informações mais relevantes, desde os conteúdos que devem ser estudados às melhores oportunidades com atletas e praticantes de atividade

Leia mais »
Nutrição na Modulação do Ciclo Menstrual
Nutrição Clínica

Nutrição na modulação do ciclo menstrual

Sabia que a Nutrição na modulação do ciclo menstrual pode ajudar suas pacientes a terem uma TPM mais tranquila? Poucos profissionais percebem, mas a alimentação tem um papel fundamental na saúde da mulher. Estudos recentes mostram que alguns nutrientes podem influenciar positivamente no bem-estar feminino, aliviando a tensão pré-menstrual e prevenindo ou tratando outros problemas.

Leia mais »
erapia alimentar como funciona e por que se especializar
Nutrição Clínica

Terapia alimentar: como funciona e por que se especializar?

Diga olá para a terapia alimentar, o conhecimento que faltava para você melhorar a vida dos seus pacientes e conseguir uma boa remuneração! Esse campo de atuação te fará atender com maestria os públicos mais variados: de crianças com dificuldades alimentares até adultos que desejam tratar ou prevenir doenças. Ao longo deste artigo, você saberá

Leia mais »

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp.